Rock'n'Roll camarada

Erasmo Carlos, que é rock

Já faz alguns dias que ouço Rock’n’Roll, novo álbum de Erasmo Carlos, sem parar. É maravilhoso testemunhar um cara com tantos serviços prestados à educação sentimental de um povo ainda na lida criativa. E mandando bem. Pirando nas letras e levadas de composições como "Cover", "Jogo Sujo", "Olhos de Mangá" e "A Guitarra é Uma Mulher", lembrei de uma resenha batucada por mim do disco Erasmo Carlos Convida – Volume II, publicada na edição de junho de 2007 da Rolling Stone Brasil. Ainda havia o trema, vejam só. Reforma ortográfica à parte, salve o Tremendão.

Erasmo Carlos

***1/2

Erasmo Carlos Convida - Volume II

Indie Records

Amigo de fé, irmão camarada

E já que o Rei é chegado em queima de biografia, nada melhor que reverenciar o amigo de fé, o irmão camarada Erasmo Carlos. Mais de duas décadas e meia do lançamento do primeiro Erasmo Carlos Convida (1980), o Tremendão comanda a festa de arromba e duetos no volume II. Dedicado a Roberto Carlos, com quem o artista está ligado criativamente há 40 anos e concebeu sucessos populares incalculáveis, o álbum abre com "Coqueiro Verde", samba de autoria apenas de Erasmo, mas que passou para história como da dupla, em felizes divididas com Lulu Santos. Na seqüência, vem Chico Buarque na bela "Olha", uma das primeiras do álbum a ser executada nas rádios por conta da inclusão na trilha sonora da novela da TV Globo Paraíso Tropical.
O Skank marca presença na roqueira "A Banda dos Contentes". Marisa Monte encanta na discursiva "Tema de Não Quero Ver Você Triste". Zeca Pagodinho acrescenta malemolência ébria à safada "Cama e Mesa'. Um brinde ao encontro. Em "Sábado Morto", Los Hermanos, pré-recesso por tempo indeterminado, propõem uma atmosfera que vai da calmaria esquisita ao drama pesado. Mais um acerto. "Ilegal, Imoral ou Engorda" tem a participação de Adriana Calcanhoto ao microfone e Kassin (guitarra) e Domenico (programação de bateria) na cozinha rítmica.
A semi-orquestral "De Tanto Amor" tem Djavan. Simone solta a voz em "Vou Ficar Nu pra Chamar sua Atenção" e a ótima "O Portão" – só a imagem do cachorro que sorri latindo já vale qualquer audição – tem o registro de Paula Toller. Outro momento saboroso é "Pão de Açúcar (Sugar Loaf)" com Os Cariocas. Formado em 1942, o quarteto foi influência para os garotos que Erasmo, Roberto e Tim Maia eram nos tempos do grupo vocal The Sputniks. Milton Nascimento encerra a lista numa das mais associadas – mais uma – ao Rei: a mítica "Emoções". Em suma, o Tremendão, que nunca se reconheceu como um grande cantor, parece confortável no papel de anfitrião. Tem pérolas para tanto. (Rodrigo Carneiro)

Comentários

Postagens mais visitadas