Canta Canta, Minha Gente



Disritmia*
Martinho da Vila


Eu quero
Me esconder debaixo
Dessa sua saia
Pra fugir do mundo
Pretendo
Também me embrenhar
No emaranhado
Desses seus cabelos
Preciso transfundir seu sangue
Pro meu coração que é tão vagabundo
Me deixa
Te trazer num dengo
Pra num cafuné
Fazer os meus apelos
Eu quero
Ser exorcizado
Pela água benta
Desse olhar infindo
Que bom é ser fotografado
Mas pelas retinas
Desses olhos lindos
Me deixe hipnotizado
Pra acabar de vez
Com essa disritmia
Vem logo
Vem curar seu nego
Que chegou de porre
Lá da boemia


*Segunda faixa de Canta Canta, Minha Gente, álbum lançado pelo Martinho da Vila em 1974. O registro - que tem ainda Renascer das Cinzas, Dente por Dente, Calango Vascaíno, entre outras - foi tema do programa O Som do Vinil, exibido pelo Canal Brasil toda a sexta-feira, às 21h30, cuja reprise assisti hoje. Como deixou claro o semanal - repleto de depoimentos do autor e de seus parceiros -, um escândalo de disco. E o que é essa letra?

Comentários

Anônimo disse…
Poxa astro
este é o verdadeiro som "negu véio"
aprecio também com o Pedro Luiz e a Parede e Ney Matogrosso em Vagabundos... enfim
bjus
Susei
www.canetasengatilhadas.zip.net
Daniel Barbosa disse…
Bem que o Martinho poderia voltar a fazer o som que fazia antigamente, não é? E essa música,Disritmia, é um clássicp do samba. Muito gostosa!

Abraço,

Daniel
rodrigo carneiro disse…
Hey querida! Negu véio total, ahaha. Bem lembrado da versão dos vagabundos. Ney é o máximo. Salve, Daniel. Trata-se mesmo de um clássico do gênero. Ele estava inspirado na época. Bjs e abs.

Postagens mais visitadas