"Eu nunca leio, nem quando não estou fazendo nada"

Menina linda. Estudante de Educação Física, é uma das instrutoras em experiência da academia onde faço ginástica. Sim, faço ginástica. E gosto. Estamos em uma das unidades da rede instalada num shopping center da região oeste de São Paulo. Cinco horas de estacionamento grátis são oferecidas aos matriculados, reza o contrato. Fixado em uma coluna de concreto, frente às fileiras de aparelhos transport, esteiras e bicicletas ergométricas, há um revisteiro. Estão sempre ali edições recentes de Trip, Tpm, Brasileiros, Joyce Pascowitch, Pais & Filhos, Wish Report, publicações onde a academia anuncia seus serviços. É comum eu manipular as revistas expostas. Levá-las para um passeio. Enquanto encarno a minha faceta de esportista, leio os textos, consulto os expedientes, vejo as figuras. Dia desses, a menina linda, toda sorrisos, se aproxima e comenta: “você sempre com uma revista nas mãos, né?”. Concordo, um tanto envaidecido, confesso, com simpática abordagem dela. Radiante por ter chamado a sua atenção com o meu percurso magricela entre halteres, espelhos e barras fixas. Digo que sou fascinado por revistas desde criança. Que adoro ser surpreendido pelas coisas escritas. Pela plasticidade dos ensaios fotográficos - o das moças, evidentemente. E ela: “Não sei como consegue treinar e ler ao mesmo tempo. Eu nunca leio, nem quando não estou fazendo nada”. Perco totalmente o rebolado. Não sei o que dizer diante da sentença. Já que estamos em ambiente esportivo, lembro do ex-atacante Romário, hoje deputado federal lá em Brasília, que, numa das farpas trocadas com Pelé, disse que o rei do futebol era um verdadeiro filósofo: isso quando o maior mito do esporte bretão estava calado. É, a menina linda me fez entender direitinho o que quis dizer o Romário. E, repentinamente, tornou-se feia, muito feia. Uma menina horrenda.

Comentários

xico sa disse…
uma poeta! boa carneirowsky
Suseli Honório disse…
Carneiro. Você está certo, meu caro, tem gente com a capacidade de "enfeiar" ou "embonitar"... de acordo com o que sai de sua boca.

Fico aqui entrigada com essa história de "nunca leio, memos quando não estou fazendo nada". Acho praticamente impossível, mas é fato.

Contudo, o que mais me entristece nisso tudo é que quanto mais pessoas pensando assim no mundo, mais nosso "ganha pão" estará comprometido meu caro amigo escriba.

Suseli Honório
rodrigo carneiro disse…
Tô falando, Suse. Fiquei perplexo. E ela disse numa franqueza sereníssima. Como se as informações sobre, sei lá, articulações, tendões, termos caros à atividade esportiva, fossem obtidas pelo dom do espírito santo. E já ouvi gente das mais diversas áreas dizendo que leitura é coisa chata. Porém, a gente continua, né? Saudade. Um beijo.
Rafael Almeida disse…
Que preconceito, cara. O que tem de mais em não ler? É um mero meio, dentre vários.

Tudo bem, nada que eu disse faz sentido. Você não se sente atraido por quem não lê e pronto. Nada de errado. Eu não gosto de mulheres mal educadas. Temos nossas preferências.
rodrigo carneiro disse…
não vejo preconceito, rafael. contudo, agradeço a tua leitura, olha ela aí de novo, e o teu comentário.
Rafael Almeida disse…
Acredito que o que ela disse é equivalente a: "não leio por prazer". Dado o contexto, é a única interpretação possível, não concorda? O que você criticou foi alguém não ter prazer em ler.

Acho até que, de forma justificável, você associou isso a uma falta de intelectualidade da estudante; até mesmo a uma falta de inteligencia. Falta de interesse com o mundo, com os outros. Enfim, tudo isso que torna a conversa desinteressante.

Só que é aí que vi o preconceito; nessa associação da leitura com inteligencia. É que hoje a linguagem escrita é o meio preferido dos intelectuais. Entretanto, não precisa ser assim. Alias, nem sempre foi assim. Quero dizer, nem em todo lugar do mundo é assim. Não acho que não gostar de ler é condição suficiente para tornar uma pessoa em alguém trivial.

Foi aí que vi preconceito, mas depois eu até mudei de ideia. Pensei melhor, seu texto não é sobre isso. É sobre encontrar a mulher dos sonhos, mas logo perceber que era só impressão.
rodrigo carneiro disse…
"É sobre encontrar a mulher dos sonhos, mas logo perceber que era só impressão", acho que é mais por aí, rafael. um abraço.

Postagens mais visitadas