Nu



(Manuel Bandeira)

Quando estás vestida,
Ninguém imagina
Os mundos que escondes
Sob as tuas roupas.

(Assim, quando é dia,
Não temos a noção
Dos astros que luzem
No profundo céu.)

Mas a noite é nua,
E, nua na noite,
Palpitam teus mundos
E os mundos da noite.

Brilham os teus joelhos,
Brilha o teu umbigo.
Brilha toda a tua
Lira abdominal.


Do livro Bandeira - Poesias Reunidas - Estrela da Vida Inteira , 1980

Comentários

Anônimo disse…
"Lira abdominal" é muito fofo!
Além de mestre, um cavalheiro com as damas...

Postagens mais visitadas