E neste domingo feminino, as palavras da poeta paulistana Andréa Catrópa se fazem presentes por aqui: belo poema publicado na edição de número 13 da revista Mininas. Valeu Ademir.

lambendo um sexo como sorvete,
onde você pensa que vai, jovem louro
com a perversidade da menina que
balança os cachos para roubar?
não nos siga, lúbrico leitor, vamos
penetrar na selva dos banheiros
públicos e nos apoiar em latrinas,
vamos sair daqui com a dignidade
nos saltos e um ramalhete de
pesadelos para sonhar.

Comentários

Postagens mais visitadas